<$BlogRSDUrl$>

yakela volta a informar 

Terça-feira, 18 de Novembro de 2019: Depois de uma longa interrupção das nossas publicações devido a um problema técnico no nosso sistema online, eis que agora estamos em condições de retomar os nossos serviços informativos, nesta página. O problema está agora superado, depois de muito esforço dos técnicos informáticos e que, graças a Deus, conseguiu-se ultrapassar o constrangimento.
Assim, a vida diocesana, a actualidade pastoral e outras notícias do nosso quotidiano chegarão aos nossos leitores e a todos os que nos acompanham de dentro e da diáspora. Pedimos as devidas desculpas por todos os transtornos que muito nos limitaram e agradecemos toda a paciência e esperança. Bem haja e até breve.

Papa Francisco cria cardeal Dom Eugénio Dal Corso 

Domingo, 1 de Setembro de 2019: O segundo Bispo emérito de Benguela, Dom Eugénio Dal Corso foi hoje nomeado cardeal pelo Papa Francisco que anunciou a convocação do consistório para o dia 5 de Outubro deste ano, no Vaticano. O Santo Padre anunciou, no final do Angelus, neste domingo 1 de Setembro, "irei presidir a um consistório no dia 5 de Outubro" no qual elevará ao colégio cardinalício dez novos cardeais eleitores e três não eleitores.
De acordo com a lista anuciada pelo Santo Padre e publicada pela Angência portuguesa de notícias "ECCLESIA", Dom Eugénio Dal Corso figura numa lista de três novos cardeais não eleitores que no dia 5 de Outubro receberão a púrpura de cardeal. O Papa Francisco anunciou a nomeação de dez cardeais eleitores, dos quais está um Arcebispo português, Dom José Toelentino Mendonça, que exerce o cardo de arquivista e bibliotecário do Vaticano. Para a nomeação dos três cardeais não eleitores, Santo Padre justificou a decisão reconhecendo "que se destacaram por seu serviço à Igreja". Addim, Dom Eugénio Dal Corso será elevado a cardeal pelo mérito da sua dedicação ao serviço da Igreja e à missão, mas por ser bispo emérito não pode participar em conclaves para a eleição do Papa. 
Em declarações ao Yakela, Dom Eugénio Manifestou a sua satisfação e disse que "foi uma surpresa". "Não sabida de nada e recebi a notícia com muita surpresa, mas aceito para o bem da Igreja", disse. O Cardeal Dom Eugénio Dal Corso foi Bispo de Benguela durante dez anos (2008-2018). De 1996 a 2008, Dom Eugénio exerceu o ministério episcopal na Diocese de Saurimo, antes como bispo coadjuctor e depois como bispo titular.
Actualmente, e depois da sua resignação como Bispo de Benguela, Dom Eugénio escolheu continuar missionário tendo-se oferecido para trabalhar nas comunidades cristãs na Diocese de Menongue.

Clero diocesano iniciou retiro anual 2019 

Terça-feira, 27 de Agosto de 2019: O primeiro turno do clero diocesano de Benguela teve início na segunda-feira, 26 de Agosto, na casa dos cursos sita no vale do Cavaco, em Benguela. Mais de 60 sacerdotes participam neste retiro que está a ser orientado pelo padre Severino, da Diocese de Ondjiva. A reflexão está ser vivida à luz do tema "OPresbítero e guia da comunidade paroquial à luz do Bom Pastor". À luz dos textos bíblicos, o pregador do retiro anima os sacerdotes sobre a consciência da sua missão junto da comunidade, estimulando a que cada um seja responsável e solícito às ovelhas que a Igreja lhe confiou.
No seu discurso, a invocação dos exemplos dos profetas, a sua dedicação à palavra e à pregação o que aponta para a missão de Cristo, o verdadeiro e supremo pastor, são temas que o orientador do retiro desenvolve nas conferências aos participantes que vão no segundo dia destes exercícios espirituais.
Quem também está a participar activamente neste retiro é o Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Braga. O Prelado está presente em todas as conferências, dando exemplo ao padres deste primeiro turno. O retiro termina no próximo dia 30 de Agosto, depois do qual se seguirá o segundo turno que começa no dia 2 de Setembro.

Primeiro Congresso do Clero reflecte sobre o Sacerdócio 

Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019: Os Bispos de Angola, padres de todas as dioceses de Angola e vários sacerdotes representantes internacionais encontram-se reunidos em Luanda desde ontem, dia 15 de Agosto, no Primeiro Congresso Nacional do Clero que decorre na Diocese de Viana. O evento contra com vários temas que estão a ser reflectidos e debatidos por prelectores que são padres angolanos e outros provenientes do Kenya, Portugal, Brasil e Cabo-Verde.
Sob o lema "o Sacerdote Homem de Deus no meio do Povo", o I Congresso do Clero procura responder a questões da espiritualidade do sacerdote, da sua vida sacerdotal-ministerial, em tempos actuais, bem como da sua auto-sustentabilidade no presente e no futuro. De entre os prelectores vindos do estrangeiro, o destaque vai para o Cardeal D. Arlindo Furtado, Bispo da Diocese de Santiago, Cabo-Verde.
A Diocese de Benguela faz-se representar pelo Bispo Dom António Francisco Jaca acompanhado por uma delegação de mais 20 sacerdotes.
O Congresso decorre até domingo, dia 18 de Agosto, com a celebração solene da missa de encerramento presidida por Dom Filomeno Vieira Dias, Presidente da CEAST e Arcebispo de Luanda.

Irmãs do S. Salvador recebem relíquias da fundadora 

Sexta-feira, 9 de Agosto de 2019: As Irmãs do Santíssimo Salvador em Benguela celebraram hoje a chegada e deposição das relíquias da sua fundadora, a Madre Afonsa Maria, na comunidade da Santa Cruz localizada no Cavaco em Benguela. A missa solene da deposição das relíquias foi presidida pelo Bispo da Diocese, Dom António Jaca, ladeado pelo Vigário Geral, padre Eduardo Alexandre; e pelo Vigário Episcopal para o Clero, padre Martinho Kavaya. Foi nesta comunidade onde as religiosas do Santíssimo Salvador de outras comunidades presentes na cidade episcopal se juntaram para homenagear e venerar a fundadora que foi beatificada a 9 de Setembro de 2018 na Catedral de Estrasburgo, em França.
De acordo com as religiosas, as relíquias que são um pedacinho do osso da Beata Afonsa Maria chegaram a Angola em 12 de Setembro de 2180 e foram destinadas para a comunidade da Santa Cruz, onde foram recebidas em 27 de Julho deste ano, para ajudar as Irmãs "mais velhas" a viver de forma constante a oração devota àquela que sonhou e se esforçou instituir uma congregação religiosa, deixando-lhe como legado o seu carisma religioso.
O Bispo de Benguela, Dom António Jaca disse na sua homilia que "este é um acontecimento especial" para as Irmãs do Santíssimo Salvador e para a Igreja diocesana; e assegurou que com as Irmãs "estamos unidos de maneira especial com o espírito da fundadora". O Bispo disse mesmo que a chegada das relíquias da Madre Afonsa Maria significam que "entramos em contacto com a sua pessoa, que viveu a sua vida cristã e religiosa" inteiramente entregue ao Senhor, como foi a mensagem do Evangelho escolhido para missa. Dom Jaca repetiu às Irmãs o sentido da presença da fundadora na vida de cada uma e dos seus associados: "Colocar as relíquias no seu cofre é sentir a presença da fundadora nesta casa da comunidade", realçou. O Prelado reconheceu que a Madre Afonsa Maria "deixou um carisma de que todos nós hoje beneficiamos através das Irmãs do Santíssimo Salvador".

Novos padres ordenados em Benguela 

Domingo, 21 de Julho de 2019: Onze novos padres e sete novos diáconos foram hoje ordenados em Benguela pelo Bispo da Diocese, Dom António Francisco Jaca. A cerimônia das ordens sacras foi celebrada na capelinha de Nossa Senhora dos Navegantes. Dom Óscar Braga, Bispo emérito de Benguela, participou da celebração onde mais cem sacerdotes, centenas de fiéis testemunharam a solene liturgia. Pela primeira vez, a juventude diocesana animou o canto da eucaristia cuja regente foi a Irmã Isabel da congregação das Irmãs Consoladoras. Como é hábito, toda a coordenação da acção litúrgica foi supervisionada pela Comissão Diocesana da Liturgia, acompanhada pelo seu presidente, o padre Pedro Lufune.
Dos onze padres ordenados, sete são membros do clero diocesano de Benguela e cinco religiosos. Destes religiosos inclui-se o primeiro padre angolano dos Missionários Oblatos, que é filho da Diocese de Benguela, natural da Catumbela.
Durante a homilia, Dom António Jaca apelou para a necessidade da dedicação ao serviço da Palavra de Deus, dizendo que o sacerdote é ordenado e enviado para anunciar a palavra que não é dele, mas de Deus. É palavra de Deus, missão de Deus à semelhança dos Apóstolos enviados para pregar a Boa Nova. O Bispo agradeceu aos pais dos neo-ordenados e sua famílias pela educação cristã e pelo acompanhamento da sua vocação.

Núncio Apostólico em Angola transferido para Lituânia 

Quinta-feira, 27 de Junho de 2019:  D. Peter Rajic, Núncio Apostólico em Angola e S. Tomé e Príncipe, foi nomeado para exercer o mesmo cargo na Nunciatura Apostólica acreditada na República da Lituânia, no Leste europeu. A notícia foi tornada pública no sábado, 15 de Junho, pela Ecclesia em Luanda, que foi também a mesma data em que chegou a Angola em 2015. O Santo Padre Francisco tranfere assim o seu representante em Angola que trabalhou no nosso País durante 4 anos. 
Até ao momento, não foram ainda avançados mais desenvolvimentos, nem sobre quem será o próximo Núncio Apostólico em Angola. 
Durante o tempo em que representou a Santa Sé em Angola, D. Peter Rajic já visitou a Diocese de Benguela em Agosto de 2016, tendo celebrado para os fiéis e reunido com os missionários nas cidades de Benguela e Lobito.



Católicos celebram Corpo de Deus nas ruas de Benguela 

Domingo, 23 de Junho de 2019: Centenas de fiéis católicos de Benguela, do Lobito e da Catumbela sairam hoje às ruas para celebrar a festa do Corpo de Deus que em Angola se comemora no domingo a seguir à festa da Santíssima Trindade, para proporcionar maior vivência e participação dos cristãos.
A tradicional procissão do Corpo de Deus em Benguela seguiu a mesma trajetória, partido da igreja de Nossa Senhora do Pópulo em direcção à Sé Catedral, passando pelas ruas da cidade.
Num momento em que o Bispo da Diocese, D. António Jaca, se encontra em visita ad limina dos Bispos de Angola no Vaticano, a cerimônia deste ano foi presidida pelo Vigário Geral da Diocese, padre Eduardo Alexandre, ladeado pelos padres Geraldo Amândio Ngunga, Chanceler da Cúria; e António Pedro Amândio, Vigário Episcopal para a Formação e Seminários. O Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Braga, participou na celebração, ele que já momentos antes da partida passou horas em adoração diante do Santíssimo exposto na igreja do Pópulo.
Como é já hábito, na procissão as crianças que fizeram a primeira comunhão neste domingo ocuparam lugar de destaque na adoração ao Santíssimo Sacramento que foi transportado por uma carrinha, parando em várias estações preparadas ao longo do percurso para a igreja Catedral.
No Lobito, A procissção do Corpo de Deus realizou-se na parte alta da cidade, tendo partindo para paróquia de São Martinho de Lima até à paróquia de São Francisco Xavier, no Bairro da Lixeira.
Na Catumbela, os fiéis vivenciaram o mesmo testemunho público de fé com Nosso Senhor adorado e demonstrado nas ruas. A partida foi a paróquia do Sagrado Coração de Jesus, passando por algumas artérias da Vila em direcção à Missão de Santo António, na zona alta. Os padres Lino Tanga, pároco da Vila, e Paulino Koteka, superior da Missão, animaram os fiéis que caminharam a adorar o Santíssimo Corpo de Cristo, terminando com a bênção na igreja da Missão de Santo António.

Jubileu da Diocese aberto nas paróquias 

Domingo, 9 de Junho de 2019: Depois da abertura, no passado dia 6, do Ano Jubilar da Diocese de Benguela, hoje foi a vez das paróquias, missões e centros de pastoral em toda a Diocese celebrarem missas de abertura da vivência do Jubileu dos 50 anos de história da fé como Igreja particular. De acordo com o programa anteriormente estabelecido pela comissão de preparação do evento, as aberturas nas paróquias seriam depois da abertura diocesana. Nesta abertura, o Bispo entregou a vela jubilar a todos os párocos e superiores para que fosse solenemente acesa nas respectivas comunidades. Este acto aconteceu hoje nas celebrações paroquiais onde os fiéis testemunharam a Vela do Ano Jubilar acessa e apresentada pelos párocos.
Na Paróquia de São José da Caponte (na foto em cima), no Lobito, o padre José António Mombo, pároco da comunidade, fixou a Vela no candelabro do altar perante o cântico de aclamação da assembleia, ao mesmo tempo que a festa do Pentecostes motivou os fiéis a vestirem de vermelho em harmonia com os paramentos litúrgicos.

Para ver em ponto grande clique na foto
Noutra comunidade, na Paróquia de Nossa Senhora da Luz (Bairro da Luz), a missa da abertura do jubileu foi presidida pelo Vigário paroquial, padre António Hombo (na foto em baixo) e concelebrada pelo pároco, padre Belchior do Rosário. Neste ano de 2019, esta Comunidade também está a viver o jubileu paroquial dos 25 anos desde que foi criada pelo então de Benguela, Dom Óscar Braga; sendo assim 4 as paróquias jubilares com a mesma idade de existência: Santo António da Fronteira, Divino Espírito Santo, na Massangarala, e Nossa Senhora dos Navegantes, em Benguela.
Daqui em diante, o Ano Jubilar será marcado por várias celebrações do jubileu dos grupos, movimentos, sacerdotes e religiosos/as em data marcadas num programa aprovado pelo Bispo da Diocese, Dom António Jaca. Destas celebrações, estão previstas peregrinações, aos santuários marianos da Diocese, com realce para o Santuário de Kakunja.
Segundo o mesmo programa, está previsto apenas o enceramento diocesano, a 6 de Junho de 2020, sem, no entanto, encerramento nas paróquias.

Congregações religiosas em Benguela têm novo delegado 

Sábado, 8 de Junho de 2019: Os religiosos e religiosas que trabalham em Benguela têm um novo delegado, nomeado pelo Bispo da Diocese, Dom António Francisco Jaca. Trata-se do padre João de Jesus Marques (na foto à esquerda) que substituiu no cargo o padre Martinho Kavaya que desempenhou tais funções durante mais de cinco anos.
De acordo com a provisão número 34/2019 de 13 de Maio, o padre João Marques é nomeado "Delegado do Bispo Diocesano para os Religiosos". O novo Delegado é sacerdote dos Missionários do Espírito Santo e é pároco da comunidade paroquial de São João Baptista do Lobito. O responsável acolheu com agrado as novas funções e é o segundo a ocupar esta pasta desde que foi criada na Diocese por Dom Eugénio Dal Corso.
Na Diocese de Benguela trabalham cerca de 25 congregações femininas e cinco masculinas das quais uma é a Pia União dos Irmãos Servos do Reino.

Diocese abre Ano Jubilar 

Quinta-feira, 6 de Junho de 2019: A Diocese de Benguela começou hoje o Ano Jubilar dos 50 anos da sua criação que se celebram em Junho de 2020. A missa de abertura do jubileu foi celebrada na Sé Catedral, presidida pelo Bispo da Diocese, Dom António Francisco Jaca, estando também presente o Bispo emérito, Dom Óscar Braga. Neste dia em que a Igreja de Benguela celebra 49 anos desde que foi elevada à categoria de diocese, os fiéis foram convidados pelo seu Pastor para que "em tudo dai graças", sendo este o lema do jubileu.
Dom Jaca fixa a vela do jubileu diocesano na igreja Catedral
Já na terça-feira passada, dia 4 de Junho, o Bispo de Benguela deu uma conferência de imprensa na paróquia de Nossa Senhora do Pópulo, onde anunciou solene e publicamente a abertura do jubileu diocesano dos 50 anos. Dom António Jaca disse que o jubileu de todos "os que nasceram em Benguela e os que vivem em Benguela" e pediu que todos vivam e se empenhem para a realização de várias actividades que irão ocorrer durante o ano, até ao encerramento no dia 6 de Junho de 2020. Um dos grandes anúncios do Bispo foi "a construção do Centro Diocesano de Pastoral Dom Armando Amaral dos Santos", cuja obra está projectada para o terreno da capelinha de Nossa dos Navegantes. Dom Jaca reiterou, na missa de hoje, o mesmo apelo "como compromisso da Diocese vamos construir o Centro Diocesano de Pastoral. Vamos empenhar-nos todos, sacerdotes, religiosos e religiosas, todos os fiéis realizar esta obra", disse durante a homilia da eucaristia de abertura do ano jubilar. O apelo à renovação, a dar graças a Deus pelos bispos e missionários, que Benguela teve motivou Dom Jaca a dizer que "vamos agradecer e renovar-nos, olhar para a história da nossa Diocese, porque somos uma comunidade diocesana". 
Para o Prelado, um dos vários compromissos da vivência do ano jubilar será "lutar contra o pecado, a discriminação e a violência" como males que devem ser combatidos e, dessa forma, "procurar a comunhão, a fraternidade e harmonia com todos".
A Diocese de Benguela foi criada a 6 de Junho de 1970 e foi seu primeiro Bispo Dom Armando Amaral dos Santos (1970-1973); seguido por Dom Óscar Braga (1975-2008); e depois Dom Eugénio Dal Corso (2008-2018). Dom António Francisco Jaca é o actual e quarto Bispo de Benguela.

Semana da diocesaneidade encerrou hoje em Benguela 

Domingo, 12 de Maio de 2019: encerrou hoje em Benguela a Semana da Diocesaneidade que vinha a decorrer desde o dia 6. A missa solene de encerramento foi presidida pelo Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Braga, que representou o Bispo da Diocese, Dom Jaca, que se deslocou ontem à Ondjiva para a ordenação episcopal do novo bispo de Menongue, Dom Leopoldo Ndakalako.
foram dias intensos de actividades que juntaram milhares de fiéis: crianças, jovens e adultos; seminaristas, postulantes, noviças; sacerdotes, religiosas e religiosos, todos foram convocados para ouvirem as catequeses do Bispo Dom Jaca e dialogar com ele fazendo perguntas e respostas. Tudo aconteceu na igreja da Catedral, dia inteiro, toda a semana.
Almoços partilhados no recinto da Sé, onde também às tardes foram dedicadas a teatros e distensão. O Bispo apelou a todos, durante os encontros, para terem o sentido de diocese, participarem na vida da diocese, com os seus talentos e contribuição. A imperiosa necessidade de os fiéis cuidarem dos seus sacerdotes e religiosos/as foi uma recomendação que Dom Jaca sublinhou às famílias, pedindo generosidade na corresponsabilidade, na partilha e conservação dos bens da igreja.
Às portas da abertura do jubileu diocesano dos 50 anos, cuja cerimônia acontece no próximo dia 6 de Junho, o Bispo de Benguela pediu o envolvimento de todas as forças vivas das comunidades na preparação e vivência das celebrações que vão ocorrer durante o ano jubilar.
Hoje, na missa do encerramento da Semana, centenas de fiéis juntaram-se na capelinha de Nossa Senhora dos Navegantes com o mesmo entusiasmo vivido durante toda a semana. O Vigário Episcopal para a pastoral diocesana, padre Manuel Abel dos Santos, na qualidade do grande organizador da Semana, agradeceu a colaboração dos párocos e dos arciprestados, sem deixar de agradecer a participação activa de todos os fiéis.

Morreu Padre Filiberto Rodriguez 

Terça-feira, 7 de Maio de 2019: A notícia apanhou a Diocese de Benguela de surpresa esta manhã. O padre Filiberto Ridriguez Martínez faleceu hoje, na clínica Girasol, em Luanda, onde se internado desde o dia 28 de Abril, vítima de doença. O padre Filiberto era membro da congregação dos Salesianos de Dom Bosco e trabalhava na Diocese de Benguela há cerca de 5 anos como pároco de Nossa Senhora dos Navegantes. No dia 26 de Dezembro de 2018, o padre Filiberto fez juramento para assumir o cargo de arcipreste de Benguela Sul, para o qual tinha sido nomeado pelo Bispo da Diocese, Dom António Jaca, função que exerceu durante 4 meses, antes do seu falecimento.
Natural de Espanha, o Rev. padre Filiberto tinha 76 anos de idade, dos quais 49 anos de sacerdócio, 59 de vida religiosa, e 11 anos em Angola. Com zelo e dedicação, o missionário serviu o povo que era confiado, indo muitas vezes ao encontro dos seus fiéis de casa em casa, como pastor ao encontro das suas ovelhas.
Funeral no Dondo: O corpo do Rev. Padre Filiberto Martínez foi ontem, 11 de Maio, enterrado no cemitério da Sociedade Dom Bosco, no Município do Dondo, Diocese de Ndalatando. Benguela fez-se representar por vasta delegação de sacerdotes e religiosas encabeçada pelo Vigário Episcopal pelo Clero, padre Martinho Kavaya, em representação de Dom António Jaca. A comunidade paroquial dos Navagantes, onde o padre Filiberto serviu como pároco, viajou em grande número para o Dondo, para acompanhar o seu pastor à sua última morada.
A missa das exéquias no Dondo foi presidida pelo também salesiano de Dom Bosco, Dom Tirso de Jesús Blanco, bispo do Lwena; tendo ainda concelebrado os bispos Dom Zeferino Zeca Martins, Arcebispo do Huambo; Dom Almeida Kanda, Biso de Ndalatando; e Dom Xingo Ya Hombo. De Espanha, a família do padre Filiberto fez-se representar pelo seu irmão mais velho, também sacerdote, e uma sobrinha religiosa de vida consagrada. Que a sua alma descanse em paz.


Aberta hoje Semana da Diocesaneidade em Benguela 

Segunda-feira, 6 de Maio de 2019: Foi aberta na manhã desta segunda-feira, na Sé Catedral, a Semana da Diocesaneidade convocada pelo Bispo diocesano, Dom António Jaca. O primeiro dia é dedicado aos sacerdotes e religiosos e religiosas de vida consagrada que acorreram à igreja da Catedral em massa.
O encontro começou com uma oração inicial feita por Dom Jaca, seguindo-se uma catequese sobre a diocesaneidade, por ele mesmo proferida aos sacerdotes e religiosas, com o tema Viver a vida diocesana".
Dom Jaca definiu a diocesaneidade que "é sentir-se como igreja, na Igreja e para a Igreja" em todos os actos da Igreja diocesana. Para isso, o Prelado apelou a todos os sacerdotes para a necessidade de dedicarem-se inteiramente ao serviço do povo de Deus e pediu mesmo que dispusessem sempre as igrejas abertas: "os cristãos têm direito de rezar na sua igreja, de falar com o seu pároco e de se confessarem", disse o Bispo. Pediu um especial cuidado para as vocações sacerdotais, dizendo que "está enganado aquele que pensa temos muitos padres". Recomendou que "não podemos parar de mobilizar jovens para a vida sacerdotal" e sugeriu que os arciprestados deviam cuidar dos primeiros anos de formação dos candidatos, pelo menos até ao seminário médio.
Às religiosas e religiosos, Dom Jaca pediu "renovação do compromisso com a evangelização. Disse que "os vossos carismas beneficiam toda as diocese, evangelizai".
Entre outros apelos que o Bispo referiu na sua catequese sobre a diocesaneidade, chamou à atenção sobre a vivência dos sacramentos, a auto-sustentabilidade e a unidade na diversidade.

Terça-feira, 7 de Maio: "Deixai vir a Mim as criancinhas". Foi à luz destas palavras de Jesus que o Bispo Dom António Jaca começou este segundo dia da diocesaneidade dedicado ao encontro com as crianças e adolescentes de toda a Diocese. Acompanhadas pelos seus párocos, vigários e religiosas de vida consagrada, as crianças encheram a Sé Catedral, organizadas por paróquias de proveniência, animadas para conversar com o Bispo.
A oração do terço missionário abriu o encontro. O Bispo rezou com as crianças antes de lhes falar e animar. A seguir foi a eucaristia e mais uma vez, as palavras do Pastor desceram de altura para animar e alimentar as sementinhas do Reino. A tarde foi reservada à animação teatral. Elas, as pequeninas, também quiseram alegrar o seu Bispo.

Diocese começa amanhã Semana Diocesana 

Domingo, 5 de Maio de 2019: O Bispo de Benguela, Dom António Jaca, começa amanhã, dia 6, a Semana da Diocesaneidade em que vai receber os cristãos benguelenses na Sé Catedral para rezar com eles, ouvi-los e falar-lhes. De segunda-feira a sábado, o Prelado vai passar todos os dias na igreja Catedral das 9h30 às 16h, com os movimentos e grupos diocesanos, a começar pelos sacerdotes e religiosas/os, com um programa cheio de actividades que irão preencher o dia todo. Esta jornada pretende levar os cristãos ao encontro do seu pastor para apresentarem as suas inquietações e ouvirem dele ensinamentos e orientações espirituais.
Na segunda, dia 6, Dom Jaca recebe todos os presbíteros e diáconos, religiosos e religiosas; na terça, dia 7, as crianças e adolescentes; na quarta, 8, os movimentos de apostolado laical; no dia 9, a Promaica; no dia 10, os jovens, seminaristas, postulantes, noviços e noviças; e, no sábado dia 11, o Prelado vai receber as famílias. Esta iniciativa é chamada "Semana da Diocesaneidade" e foi preparada intensamente durante a segunda quinzena de Abril, através de encontros com todos estes movimentos realizados pelo Vigário Episcopal pela Pastoral Diocesana, padre Manuel Abel dos Santos em todos os Arciprestados.
O encerramento da Semana será no domingo, dia 12 de Maio. Um dos propósitos para a realização desta semana é a vivência "eclesial conjunta" que se concretiza "na participação e na corresponsabilidade", como se pode ler no programa.

O Bispo no Caimbambo: Durante a semana finda, o Bispo Dom António Jaca trabalhou no Município do Caimbambo, onde fez duas visitas pastorais na paróquia e na Missão. O Prelado cumpriu assim a primeira visita àqueles fiéis que integram o Arciprestado do Cubal. Neste domingo, 5, Dom Jaca encerrou estas visitas com a missa solene na Missão do Caimbambo.

Dom Emílio Sumbelelo toma posse na Diocese de Viana 

Domingo, 28 de Abril de 2019: O novo bispo da Diocese de Viana, Dom Emílio Sumbelelo, tomou posse hoje diante de centenas de fiéis daquela Igreja cujo Município faz parte da Província de Luanda. A cerimónia foi testemunhada por vários bispos da CEAST, com destaque para o Arcebispo de Luanda, Dom Filomeno Vieira Dias, e o Núncio Apostólico em Angola, Dom Peter Radjic. As autoridades civis foram representadas pelo Governador de Luanda, Sérgio Rescova.
A Diocese de Benguela esteve representada na cerimônia por vários sacerdotes e fiéis; e na ausência de Dom António Jaca que se encontra na terra santa, Dom Óscar Braga, Bispo emérito, acompanhou a delegação benguelense.
O novo Bispo da Diocese de Viana dirigiu-se aos seus diocesanos com palavras de saudação e agradecimento a Deus, ao Santo Padre, o Papa Francisco, pela confiança, e a todos os que o acolhem na nova missão pastoral. Numa homilia inclusiva que apresentou a linhas pastorais do Bispo, Dom Emílio Sumbelelo disse aos fiéis: "os caminhos do Senhor são insondáveis. Hoje estou aqui. Estava fora dos meus planos que volvidos 11 anos estaria aqui na grande Diocese de Viana". Assegurou que a sua nomeação foi um chamamento de Deus "para pastorear esta diocese que procurarei conhecer", reconhecendo que a sua vinda é uma "obediência em plena comunhão com o Santo Padre".

Procurarei fazer o que Jesus Cristo faria para a sua Igreja: Nas primeiras indicações do que serão as linhas de acção pastoral de Dom Emílio Sumbelelo, na Diocese de Viana, sobressai a sua disponibilidade em servir o povo de Deus. "O Senhor envia-nos ao serviço do povo, para servir o seu rebanio", disse. Com base nas leituras do segundo domingo da Páscoa, o Prelado afirmou que "a Igreja de Viana acolhe na minha humilde pessoa o seu novo bispo, o seu novo pastor", dizendo em seguida que "na escola de Jesus Cristo aprendi, desde muito cedo, a trabalhar muito para o bem do seu povo". Dom Sumbelelo disse mesmo que  "procurarei fazer o que Jesus Cristo faria para a sua Igreja". E isto passa em primeiro lugar por anunciar o evangelho. O bispo prometeu, na sua acção pastoral, ouvir a todos, querendo dizer que vai "ouvir para decidir". Pediu às autoridades civis trabalhar em conjunto: "trabalhemos juntos para diminuir as assimetrias sociais, primando pela justiça social e pela dignidade da pessoa humana", para que deste modo, "o pão seja partilhado e abundante na mesa de todos".
Dom Emílio Sumbelelo foi nomeado pelo Papa Francisco no dia 11 de Fevereiro deste ano, transferido da Diocese do Uíje e sucede no cargo a Dom Joaquim Mendes, primeiro bispo de Viana, que passa agora a Bispo emérito daquela Diocese.


Bispo quer fiéis renovados pela Páscoa de Cristo 

Domingo de Páscoa, 21 de Abril de 2019: Nas primeiras celebrações do Bispo de Benguela, Dom António Jaca, desde que tomou posse, durante o tríduo pascal, o Prelado deixou muitos apelos aos fiéis e a todas as pessoas de boa vontade para uma maior renovação de espírito. Celebrar a Páscoa é renovar-se no Senhor através da conversão de cada dia, proferiu na sua homilia da noite santa. Na missa da ceia do Senhor, na quinta-feira santa, Dom António Jaca, pediu que todas as paróquias devem ser comunidades caritativas, onde o cuidado e a atenção pelos mais necessitados e humildes se deve fazer sentir, à semelhança de Jesus que lavou os pés aos discípulos e mandou-lhes fazer o mesmo aos seus irmãos.


Dom Jaca apelou a uma maior "humildade" no serviço aos irmãos e disse que "quem não vive para servir não serve para viver, quem não vive para servir não é feliz". O Prelado, repetindo o gesto de Jesus, lavou os pés a alguns fiéis da Sé Catedral, durante a celebração, o que já momentos antes explicou dizendo que "não é teatro", mas a repetição do verdadeiro gesto de Jesus.
Na Sexta-feira Santa, Dom Jaca presidiu às cerimónias da paixão do Senhor na paróquia de Nossa Senhora do Pópulo, de onde partiu a procissão da Visa-Sacra da cidade que é já uma tradição de muitos anos. Centenas de fiéis acorreram em massa a este exercício de meditação do caminho doloroso da paixão e morte de Jesus. Passando pelas ruas da cidade, os fiéis presididos pelo Bispo terminaram na igreja da Catedral onde receberam a bênção e a reconciliação através da confissão.
Na noite da Vigília, no Sábado santo, Dom António Jaca presidiu à sua primeira grande celebração na Sé. Dom Jaca, apelou aos fiéis e a todas as pessoas de boa vontade, aos governantes e dirigentes de comunidades a terem maior respeito pela "obra da criação de Deus", baseando-se na primeira leitura da vigília. Deus criou o mundo e viu que tudo era bom, pelo que todos devemos amar e cuidar a criação de Deus. Sobre o acontecimento da ressurreição do Senhor, Dom Jaca disse que "não basta dizer que acreditamos no Senhor, é preciso demonstrar com palavras e obras". 
Na cerimónia, o Bispo fez os primeiros baptismos pascais a mais de 50 catecúmenos, numa Sé Catedral que foi pequena para tantos fiéis.
No Domingo de Páscoa, Dom Jaca escolheu a paróquia do Divino Espírito Santo, no Bairro da Massangarala, onde celebrou a missa pascal. Para a alegria dos paroquianos, Dom Jaca recebeu flores e agradeceu o acolhimento pedindo que todos anunciem Jesus Cristo ressuscitado e vivo. Uma fotografia com todos os paroquianos à porta da nova igreja marcou o fim da celebração.

Dom Jaca pede mais empenho pastoral a sacerdotes de Benguela 

Terça-feira Santa, 16 de Abril de 2018: O Bispo de Benguela, Dom António Francisco Jaca pediu hoje aos sacerdotes do clero diocesano mais empenho no serviço pastoral às comunidades onde se encontram a exercer o seu ministério sacerdotal. O Prelado falava durante a homilia da Missa Crismal a que presidiu na Sé Catedral que marcou também a sua primeira celebração com o clero de Benguela desde que é Bispo diocesano. "Esta é a primeira celebração a que presido como Bispo diocesano", disse Dom António Jaca, e "exorto a todos os sacerdotes da diocese para um maior empenho e dedicação ao serviço pastoral". Dom Jaca agradeceu também o trabalho feito por todos os sacerdotes e saudou calorosamente todos os missionários a quem expressou palavras de agradecimento.
O Prelado defendeu a necessidade de servir o povo de Deus com zelo e justiça. "Não podemos servir os pobres de Deus com o espírito de soberba ou fechados nas nossas casas paroquiais", disse. Ao apelar ao espírito missionário de anúncio e denúncia, Dom Jaca pediu aos sacerdotes e religiosas que apostem "lutar pela justiça social, repartição justa da riqueza e defender os pobres da ganância dos grandes", o que definiu como uma importante "missão do sacerdote".
A Missa Crismal foi celebrada na Sé Catedral de Benguela, nesta terça-feira santa, por razões pastorais, antecipando-se em relação ao dia do sacerdócio que a Igreja celebra na quinta-feira santa. Cerca de 180 sacerdotes diocesanos e religiosos que trabalham na diocese participaram da eucaristia na qual pronunciaram votos de renovação do sacerdócio e vivência da obediência, pobreza e castidade diante do Bispo e dos fiéis. No fim, o Bispo pediu aos fiéis orações pelos sacerdotes.

Cristãos de Benguela iniciam Semana Santa 

Segunda-feira, 15 de Abril de 2019: Os fiéis católicos em Benguela começaram as celebrações pascais neste domingo, 14, com a cerimónia da missa de ramos que todas as paróquias celebraram para marcar o início da Semana Santa. 
Na paróquia de Nossa Senhora da Nazaré, os fiéis cumpriram o compromisso litúrgico da procissão dos ramos que tradicionalmente começa no bairro da Camunda em direcção à igreja paroquial. Centenas de cristãos, com os ramos levantados, cantaram Hossana, presididos pelo seu pároco, padre Domingos Katanganha. Na missa, o sacerdote apelou para a reconciliação de cada cristão durante esta semana como gesto de amor e justiça.
As tradicionais celebrações da Páscoa vão acontecer na Sé Catedral, onde por razões pastorais, o clero de Benguela se reúne para a celebração da missa crismal nesta terça-feira, 16. Nesta missa, onde serão benzidos os santos óleos e distribuídos para as paróquias, será também entregue a renúncia quaresmal deste anos que tem como destino o Mosteiro Mãe de Deus das Monjas Dominicanas, no Cavaco em Benguela.
Estas são as primeiras celebrações pascais do Bispo Dom António Jaca, desde que é pastor da Diocese que assumiu em junho do ano passado. 


Notícias da semana em Benguela 

Sexta-feira, 22 de Março de 2019: Um grupo de irmãs da congregação das Irmãs Teresianas reabriu a comunidade religiosa da Missão da Jinga, no Município do Bocoio, na terça-feira, dia 19. O acto ficou marcado por uma celebração eucarística presidida pelo Vigário episcopal para o Clero, padre Martinho Kavaya. As irmãs Teresianas regressaram assim àquela Missão, depois de mais 40 anos fora da comunidade devido à guerra que tinha afetado a zona. 
A Missão da Jinga foi fundada pelos missionários do Espírito Santo que também a tinham abandonado por causa da guerra, mas que reabriram a comunidade em finais da década de 2000. Actualmente, a Missão está sob o cuidado pastoral da Diocese de Benguela, tendo como superior e pároco o padre Venâncio Javela.
Na paróquia de São Marcos, na Yambala, Município do Cubal, o padre Baranabé Sawongo, celebrou o jubileu de 25 anos de ordenação sacerdotal. A missa solene foi presidida pelo Vigário Geral da Diocese, padre Eduardo Alexandre, com a presença de vários missionários e missionárias vindas de diversas comunidades e paróquias.

Na Diocese de Menongue, os cristãos rejubilaram esta semana, com a notícia da nomeação do novo bispo para aquela Igreja, o padre Leopoldo Ndakalako, pertencente ao clero da Diocese de Ondjiva. D. Leopoldo, de 51 anos de idade, prepara-se agora para a ordenação episcopal, cuja data e lugar não foram ainda anunciados. Dom Leopoldo Ndakalako sucede a Dom Mário Lukunde que resignou em 2018.

Em Luanda, os Bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé encerraram, nesta quarta-feira, 20, a I Assembleia Plenária deste ano. O encerramento ficou marcado pela leitura de vários comunicados com destaque para a condenação da liberalização do aborto consagrado no novo código penal.

Últimas da Igreja em Benguela 

Sexta-feira, 8 de Março de 2019: O clero de Benguela reuniu-se nos dias 4 e 5 de Março deste ano, em mini-congresso que reflectiu sobre a missão do sacerdote hoje, no Seminário Maior do Bom Pastor. Cerca de 200 sacerdotes diocesanos e religiosos participaram do evento que contou com a presença dos bispos Dom António Jaca, Bispo da Diocese, e Dom Óscar Braga, Bispo emérito.
Os padres reflectiram sobre vários temas que abordaram a espiritualidade do sacerdote, a sua missão na Igreja e na sociedade, bem como os grandes desafios que se impõem hoje à missão evangelizadora da Igreja.
Na missa do encerramento, na Sé Catedral, Dom António Jaca agradeceu a participação activa dos padres, os contributos dos expositiores e apelou à fidelidade a Jesus Cristo, sumo sacerdote. A celebração terminou as novas nomeações de párocos e vigários paroquiais que em breve o nosso jornal publicará.

Início da Quaresma 

Dom António Jaca celebrou a missa das cinzas na Sé Catedral, nesta quarta-feira de Cinzas, dia 6 de Março. O Prelado assinala a sua primeira vivência quaresmal como Bispo de Benguela e pediu aos fiéis que no início desta caminhada "olhássemos para dentro de nós mesmos". Pediu maior conversão como sugeriram as leituras do dia: "que a nossa vida seja conduzida com o olhar voltado para Deus" . O Prelado determinou já que a renúncia quaresmal para este ano destina-se às Irmãs Monjas Dominicanas do mosteiro Mãe de Deus, no Cavaco, em Benguela.



Dom Emílio Sumbelelo nomeado Bispo de Viana 

Terça-feira, 22 de Fevereiro de 2019: O Papa Francisco nomeou Dom Emílio Sumbelelo Bispo da Diocese de Viana, notícia que se tornou oficialmente pública na segunda-feira, dia 21 deste mês, anunciada pelo Núncio Apostólico em Angola, Dom Peter Radjic, em Luanda.
Dom Sumbelelo era Bispo do Uíje, diocese que agora deixa. Fonte consultada pelo Yakela disse que não foi anunciado sobre se Dom Emílio vai continuar a ser administrador Apostólico na Diocese do Uíje até à nomeação do novo bispo. Todavia, Dom Emílio Sumbelelo para a Diocese de Viana onde vai substituir Dom Joaquim Ferreira Lopes cujo pedido de resignação foi aceite pelo Santo Padre.
Dom Emílio Sumblelo, 54 anos de idade, foi ordenado sacerdote para a Diocese de Benguela, a 4 de Agosto de 1991. Fez estudos em Roma e é doutorado em Direito Canónico. Foi nomeado bispo coadjutor do Uíje pelo Papa Bento XVI e recebeu a ordenação episcopal de Dom Óscar Braga, a 25 de Março de 2007 em Benguela. (notícia ainda em atualização)


Missionários Saletinos têm novo Superior Provincial 

Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2019

Os Missionários de Nossa Senhora de La Salete, em Angola, elegeram novo Superior Provincial, padre Celestino Muhatili. A eleição aconteceu durante o capítulo provincial que decorreu entre os dias 7 e 11 de Janeiro deste novo ano, no Lubango.
O novo Superior Provincial sucede no cargo ao padre que governou a Província Saletina de Angola nos últimos anos. Com o novo Provincial foram eleitos os padres Avelino Sangameia, vigário provincial e Belmiro Tchipunduko, conselheiro. 
O novo Superior Provincial, padre Muhatili, é doutorado em ciências Pedagógicas, em Itália, tendo chegado a Angola recentemente.
O padre Muhatili substitui no cargo ao padre Pedro Tchingandu que governou a Província Saletina de Angola nos últimos 5 anos.O novo superior Provincial dos Missionários de La Salete é natural do Cubal, Província de Benguela, e tem 46 anos de idade.

Palavra do Pastor 


Aos Sacerdotes
Religiosos e Religiosas
Evangelistas, Catequistas e Agentes de Pastoral

Amados Diocesanos
Terminou a nossa Semana de Pastoral, por sinal, a primeira depois da minha tomada de posse. Agradeço ao Secretariado Diocesano de Pastoral e a todos os que colaboraram para o bom êxito da mesma. Aos Sacerdotes, Religiosos e Religiosas e a todos os fiéis leigos delegados, agradeço a participação activa nos trabalhos ao longo desta semana de pastoral.
Com os olhos voltados para o nosso jubileu dos 50 anos da nossa Diocese, com alegria apresento-vos o “Plano pastoral 2019” como fruto dos trabalhos da semana de pastoral que teve como tema: “Família Diocesana de Benguela, com Maria celebremos o jubileu”. O tema sugere-nos a nossa pertença. Somos uma família, a família diocesana de Benguela. Esta família está convocada para a celebração do jubileu de ouro da Diocese (6 de Junho de 1970 – 6 de Junho de 2020) sob o olhar, protecção e condução de Maria Santíssima, Nossa Senhora de Fátima, Padroeira da Diocese.
“Viver e agradecer, Renovar-se e Comprometer-se” é a palavra de ordem que nos é proposta como motivação para a preparação, celebração e vivência do ano jubilar. Um marco importante do ano jubilar será a construção do “Centro Pastoral D. Armando Amaral dos Santos”. O futuro Centro Pastoral, onde funcionarão alguns serviços da Curia Diocesana, bem como o Secretariado Diocesano de Pastoral e Secretariado Diocesano de Catequese e outros serviços sócio-pastorais, será o coração da Diocese. Dada a sua importância, todos os fiéis da Diocese, bem como os homens e mulheres de boa vontade, serão chamados a dar a sua contribuição para a sua edificação. No presente ano Pastoral dedicado à juventude sob o tema “Os Jovens e a Fé celebrada”, como família diocesana comprometemo-nos a “Ajudar os jovens a Celebrar o Mistério Eucarístico e a cuidar das Celebrações Litúrgicas”. Outrossim, toda a comunidade diocesana está chamada ao necessário esforço de trabalhar para a inculturação da liturgia.
Amados Diocesanos. Ao aprovar o Plano Pastoral 2019, confio aos Sacerdotes, Religiosos e Religiosas, Evangelistas e Catequistas e todos os agentes de pastoral a empenhar-se na aplicação do presente plano de pastoral atendo-se aos objectivos e às acções preconizadas para a implementação do referido plano pastoral.
Confiemos à intercessão da Virgem Maria, nossa Padroeira, o bom êxito e dos frutos deste novo ano de pastoral.

Benguela, 01 de Janeiro de 2019, Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus.

+ D. António Francisco Jaca
Bispo de Benguela e Administrador Apostólico de Caxito

Vigário Episcopal da Pastoral Diocesana apresenta programa diocesano 

Sábado, 5 de Janeiro de 2019: O novo Vigário Episcopal pela Pastoral diocesana de Benguela, padre Manuel Abel dos Santos, apresentou hoje o programa de pastoral para o ano de 2019, com um conjunto de acções que os agentes de pastoral da comunidade de base deverão implementar juntos dos fiéis.
O sacerdote explicou que o seu principal objectivo, no novo cargo, é "promover a unidade da pastoral na Diocese". Para o padre Abel, é importante todos terem a consciência de missão participando em todos os eventos de pastorais, num espírito de pastoral de conjunto, o que não é novo.
O sacerdote falava no encontro dos agentes de pastoral do Arciprestado Benguela Norte, que também se reuniu para a tomada de posse do novo Arciprestado nomeado, padre Raimundo Quintas Alberto que recebeu as pastas do Arciprestado cessante, padre Martinho Kavaya, que exerce agora as funções de Vigário Episcopal para o Clero.
A importância da "pastoral orgânica" que conhecemos como "pastoral de conjunto" deve ser uma marca na nossa actividade de entrega e de serviço. Para o padre Abel, devemos sentir a obrigação de responder ao nosso chamamento e mostrar sempre a nossa dispobilidade.
O padre defendeu que "não podemos dizer que sou livre", mas sim investirmos na pastoral de conjunto, tendo em conta que "é muito importante que as comunidade paroquiais colaborem mais". Esta é a razão de haver mais encontros e coordenação inter-comunitária.

Famílias de Benguela aplaudem Dom Jaca 

Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2018: As famílias da Diocese de Benguela aplaudiram ontem o Bispo Dom António Jaca com palavras de agradecimento pela primeira celebração da festa da Sagrada Família como Bispo de Benguela. A celebração juntou centenas de famílias no quintalão Dom Bosco, na paróquia de Nossa Senhora dos Navegantes, onde durante tres dias os casais reuniram e debateram vários temas alusivos à Sagrada Família.
Durante a eucaristia, Dom Jaca pediu que "as famílias da nossa Diocese cultivem sentimentos de amor verdadeiro, diálogo sincero e perdão mútuo". Com base nas leituras da missa, o Bispo apelou para "união do lar", onde os filhos devem cuidar dos pais na velhice, orgulhar-se deles e não os abandonar nos lares de terceira idade. O Prelado pediu que as famílias imitem o exemplo de Maria e José, simples e humildes mas cuidaram educaram o Filho de Deus.
A festa da Sagrada Família em Benguela é uma ocasião de os casais encontrarem-se em acampamento numa paróquia ou missão para uma jornada de reflexão sobre a vida conjugal e espiritualidade matrimonial, com o apoio e acompanhamento da comissão diocesana da pastoral familiar presidida pelo padre Albino Segunda e a irmã Maria da Conceição da Cruz como assistente. Os casais alteram o programa anteriormente aprovado de que, este ano, o encontro seria feito em dois lugares: na paróquia do Balombo e na paróquia da Ganda. "Mas para acolher e receber o nosso novo Bispo, Dom António Jaca, e estar com ele pela primeira vez, alteramos o programa e decidimos celebrar a festa aqui nos Navegantes", lê-se na mensagem de agradecimentos.

Bispo de Benguela quer que paróquias façam pastoral do dízimo 

Sábado, 29 de Dezembro de 2018: Dom António Jaca apelou hoje aos párocos e conselhos pastorais de todas as paróquias a tomarem iniciativas para uma "pastoral do dízimo" para o bem da Igreja nas comunidades paroquiais e na Diocese. O Bispo de Benguela disse que "os fiéis devem ter a consciência de contribuir" com os seus rendimentos para melhor investir nos bens da comunidade e da Igreja, pois, estes "bens ficam para os cristãos do futuro". Dom Jaca falava ao conselho de pastoral durante uma reunião com este organismo da paróquia do Santo António, em Benguela, na última visita pastoral àquela comunidade, a última deste ano. Para Dom António Jaca, "o dízimo é recomendação antiga da Igreja" que significa para o fiel "devolver a Deus o que Ele lhe deu". Nas paróquias, deve-se cultivar "o sentido da partilha" para que cada um segundo os seus rendimentos, o seu salário, doe à comunidade.
O Prelado defendeu que "as paróquias devem procurar outras iniciativas para diversificar as receitas" para que "não dependam apenas das coletas dominicais". O maior dinamismo para isso deve ser dos "conselhos económicos" que deve gerir os bens em comunhão com o pároco, primando por maior transparência.
Dom fez a última visita pastoral deste ano e segue agora para Diocese de Caxito, onde ainda continua com Administrador, para celebra a acção de graças pelo ano que termina com os cristãos daquela Igreja local.

Novos vigários episcopais tomam posse 

Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2018: O Bispo de Benguela, Dom António Jaca, conferiu hoje posse aos vigários episcopais nomeados e aos novos arciprestes que juraram fidelidade durante a missa do "Natal Missionário", que este ano aconteceu na paróquia do Dom Grande.
Pe. Abel dos Santos, no acto do juramento com mão sobre evangelho
Depois da leitura da provisão pelo Chanceler da Cúria, padre Geraldo Amândio Ngunga, os novos vigários episcopais assumiram o cargo e prometeram cumprir com fidelidade a nova missão. A nomeação é uma resposta ao novo serviço que Dom António Jaca criou na Diocese, para melhor responder aos anseios e necessidades pastorais. Os novos vigários episcopais são os padres Manuel Abel dos Santos, Vigário Episcopal para a Pastoral Diocesana; António Pedro Amândio, Vigário Episcopal para os Seminários e Formação; e Martinho Kavaya, Vigário Episcopal para o Clero.
Dom António Jaca anunciou que, com a tomada de posse dos novos vigários episcopais, está criado "o Conselho Episcopal", órgão que ajudará o Bispo diocesano na organização, coordenação e tomada de decisões das grandes linhas pastorais da Diocese. O Conselho Episcopal será, assim, composto pelo Bispo, que o preside, pelo Vigário Geral, padre Eduardo Alexandre, e pelos vigários episcopais empossados. Os empossados juraram fidelidade e obediência perante o altar e com a mão direita sobre o Evangeliário durante a pronúncia da fórmula canônica.
Na mesma missa também tomaram posse, com juramento de fidelidade à "Igreja e aos santos evangelhos", os novos arciprestes nomeados durante a Semana de Pastoral, como já noticiámos nos serviços anteriores.
Dom Jaca pediu a todos "entrega e dedicação" à nova missão que a Igreja lhes pede e agradeceu a disponibilidade de terem aceite este novo serviço ao povo de Deus da Igreja de Benguela. Durante a sua alocução, Dom Jaca disse que o "passeio missionário" é e deve ser "o Natal missionário".

Dom António Jaca abençoa fiéis de Benguela 


Segunda-feira, 24 de Dezembro de 2018: O Bispo de Benguela, Dom António Francisco Jaca abençoou, esta manhã, todos os fiéis da Diocese que dirige e desejou um "um Santo Natal a todas as famílias" de Benguela. Dom Jaca exprimiu votos de "confiar ao Senhor o novo ano, ano de bênção e graça" para todos.
Dom António Jaca falou aos sacerdotes e religiosas de vida consagrada, no Paço Episcopal, quando recebia cumprimentos de Natal e de fim d'ano. O Prelado agradeceu a presença de todos no acto, como representação das comunidades, paróquias e missões de toda a diocese, como realçou o Vigário Geral, padre Eduardo Alexandre, no seu discurso.
Dom Jaca agradeceu "a disponibilidade dos novos vigários episcopais eleitos por terem aceite a assumir esta nova responsabilidade", mas que a sua nomeação canônica será tornada pública nos próximos dias. O momento foi também aproveitado pelo Prelado para agradecer e desejar um Natal Feliz aos seus predecessores, nomeadamente Dom Óscar Braga e Dom Eugénio Dal Corso. "Aproveito a ocasião para agradecer ao senhor Dom Eugénio Dal Corso, pelos 11 anos anos de serviço que prestou à nossa Diocese e desejo-lhe um feliz Natal", disse Dom Jaca. Os mesmos votos formulou a Dom Óscar Braga, a quem agradeceu a disponibilidade e presença na vida da Diocese, apesar da sua idade.
Dom Jaca pediu empenho e colaboração de todos para a preparação do jubileu da Diocese a celebra-se em 2020, mas que terá abertura em Junho de 2019. O Prelado vai hoje celebrar a primeira missa do galo na Sé Catedral, desde que tomou posse como Bispo de Benguela, no dia 9 de Junho deste ano.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

DIOCESE DE BENGUELA