<$BlogRSDUrl$>

Padre Paulo Kaliyatu vai a enterrar na quarta-feira 

Terça-feira, 23 de Outubro de 2018: O Reverendo padre Paulo Kaliyatu, falecido a 21 deste mês, será sepultado amanhã, dia 24, com a missa do corpo presente a ser celebrada na paróquia de São José da Caponte, no Lobito, pelas 12h, presidida pelo Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Lino Lopes Fernandes Braga. A seguir à missa, será o cortejo fúnebre para o cemitério da Catumbela, onde será sepultado o jovem sacerdote.
A Diocese está unida em orações durante estes dias de luto em homenagem ao padre Kaliyatu. Hoje, o programa indica uma missa na paróquia da Caponte, às 21h, celebrada por padres e religiosas e religiosos. Depois da exéquias fúnebres de amanhã, a missa do sétimo dia será no sábado às 11 h, na mesma igreja da Caponte, onde o padre trabalhou nos últimos 6 anos.

 Segunda-feira, 22 de Outubro de 2018: O padre Paulo Kaliyatu faleceu ao cair da noite do domingo, dia 21 de Outubro. A morte por doença aconteceu no hospital central do Lobito, onde o sacerdote foi assistido e chegou a falecer. Paulo Kaliyatu nasceu a 11 de Janeiro de 1975, no Município do Lobito. Foi ordenado sacerdote a 1 de Agosto de 2004. Depois alguns anos de serviço pastoral na Diocese, foi enviado a Itália onde se especializou em Filosofia. De regresso a Benguela, integrou a pastoral e a docência. No momento da sua partida para a casa do Pai, o padre Paulo Kaliyatu era vigário paroquial de São José da Caponte, no Lobito. Outras informações sobre o óbito serão conformadas nos próximos momentos.
Que a sua alma descanse em paz.

Jornadas científicas da Católica encerram com homenagem a Dom Óscar Braga 

Sexta-feira, 5 de Outubro de 2018: As Jornadas Científicas do Instituto Superior Católico encerraram ontem com uma conferência sobre "o empreendedorismo intelectual, pedagógico e cultural de Dom Óscar Braga na cultura e no ensino em Angola", sessão que homenageou a figura do Bispo emérito de Benguela pelos feitos e marcos históricos do seu legado como homem que muito contribuiu para a promoção humana.

Com uma plateia cheia de várias individualidades civis e eclesiásticas no recinto onde aconteceram as III Jornadas Científicas da Católica, muitos foram os testemunhos vivos de pessoas presentes e mensagem dos ausentes a enaltecer a figura de Dom Óscar como Bispo e como cidadão que muito fez para o bem dos angolanos em tempos difíceis do passado do País.
Para marcar o acto da homenagem, o Instituto Superior Católico, instituição universitária que ele próprio fundou, atribuiu o nome de Dom Óscar Braga ao anfiteatro do novo edifício do complexo do Luongo que passou a chamar-se "Auditório D. Óscar Braga". O Bispo de Benguela e Magno Chanceler do ISPOCAB, Dom António Francisco Jaca, entregou ao homenageado o quadro da Certidão de Honra, cujo texto foi publicamente lido pelo Director Geral Adjunto, Pe. Zeferino Capoco.
Dom Óscar agradeceu com palavras de humildade e disse que "não esperava mais um gesto desta natureza". incentivou todos a trabalhar pelo crescimento dos valores cristãos e humanos por uma amor à Igreja e serviço ao Evangelho.
As Jornadas Científicas terminaram com a celebração solene da eucaristia, presidida por Dom António Jaca.

Católica de Benguela em Jornadas Científicas 

Terça-feira, 2 de Outubro de 2018: O Instituto Superior Politécnico Católico de Benguela (ISPOCAB) realiza de 1 a 3 de Outubro as III Jornadas Científicas subordinadas ao lema "O Corredor do Lobito: Contributo para o Desenvolvimento Sustentável de Angola". À luz do tema "Ensino Superior de Qualidade: Contributo para o Desenvolvimento Local", o evento reuniu académicos, estudantes e investigadores, no centro do Compão, no Município do Lobito.
A cerimónia de abertura contou com a presença de várias individualidades, com destaque para o Bispo de Benguela e Chanceler do ISPOCAB, Dom António Francisco Jaca, o Magnífico Reitor da Universidade Katyavala Bwila, Doutor Albano Ferreira Vicente, e representações da Administração do Lobito, das Forças Armadas, entre outras. O Magno Chanceler, Dom Jaca, no seu discurso de abertura convidou e apelou à comunidade académica a primar por uma investigação inspirada nos valores cristãos e evangélicos com critérios da busca da verdade científica.
Com a realização destas Jornadas Científicas, o ISPOCAB comemora o dia do seu Padroeiro, São Francisco de Assis, a 4 de Outubro, em cuja cerimónia será prestada uma homenagem ao Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Braga, pelo seu contributo em prol do desenvolvimento de Benguela por se destacar na criação de várias instituições católicas de ensino e promoção humana. 

Arquidiocese do Huambo tem novo Arcebispo
Trata-se de Dom Zeferino Zeca Martins até então bispo auxiliar de Luanda. O Prelado recebeu a nomeação do Vaticano, nesta segunda-feira, dia 1 de Outubro, para assumir a Arquidiocese do planalto central de Angola, em substituição de Dom José de Queirós Alves que resigna por limite de idade (75 anos), conforme as regras canónicas do exercicio do múnus episcopal.
Depois da notícia tornada oficialmente pública, Dom Zeferino Zeca Martins tem 90 dias para dentro deste tempo entrar na Arquidiocese com a tomada de posse cuja data ainda não foi avançada.
Em declarações aos órgãos de comunicação social, Dom Zeferino disse que "agradeço ao Santo Padre Francisco pela confiança" e aos seus novos diocesanos anunciou "que esperem acima de tudo um irmão".


Novo Bispo para Cabinda já foi oredenado 

Domingo, 30 de Setembro de 2018: O padre Belmiro Cuica Tchissengueti foi hoje ordenado bispo da Diocese de Cabinda, para a qual tinha sido nomeado pelo Papa Francisco no dia 3 de Julho deste ano. Dom Belmiro recebeu a sagrada ordenação episcopal no estádio-santuário dos Coqueiros, em Luanda, numa missa solene presidida pelo Arcebispo da mesma Arquidiocese, Dom Filomeno Vieira Dias do Nascimento que teve bispos coordenantes Dom Peter Rajic, Núncio Apostólico em Angola, e Dom Benedito Roberto, Arcebispo de Malanje, que mandou o agora Dom Belmiro para o seminário.
Todos os bispos de Angola participaram da cerimónia. Uma numerosa delegação vinda de Cabinda representou a diocese do novo Bispo, além de numerosos sacerdotes e fiéis vindos de outras dioceses de Angola.
Dom Filomeno exortou os presentes a agradecer a Deus pelo dom do episcopado e disse que «a ordenação episcopal é acontecimento de oração». Dirigindo-se ao novo bispo, Dom Filomeno realçou que «Dom Belmiro não parte (para Cabinda) para ser servido, mas para servir» o rebanho de Deus naquela «amada e inesquecível Diocese». O Arcebispo pediu ao novo bispo a «não viver para si próprio, mas para Deus», dizendo-lhe que o «a Igreja de Cabinda recebe de Deus em ti um grande presente».
Dom Belmiro torna-se assim o sucessor de Dom Filomeno Vieira Dias que foi transferido da Diocese de Cabinda para Arquidiocese de Luanda, e vai tomar posse no domingo dia 7 de Setembro.

Bíblia em Umbundu foi apresentada em Benguela 

Segunda-feira, 17 de Setembro de 2018: A Bíblia traduzida em Umbundu foi ontem apresentada aos fiéis católicos de Benguela pela comissão diocesana da pastoral bíblica coordenada pelos padres André Macala, Bonifácio Tchimboto e José Passassi. A cerimônia aconteceu na Sé Catedral de Benguela e foi presidida pelo Bispo da Diocese, Dom António Francisco Jaca, ladeado pelo Bispo emérito, Dom Óscar Braga, e pelo Vigário Geral, Padre Eduardo Alexandre que fez as honras da casa com as palavras de boas-vindas.
A apresentação da Sagrada Escritura na versão em Umbundu foi feita pelo Padre Feliciano Palanga. O sacerdote expôs em síntese a importância e o significado que representa para os fiéis católicos ter todos os livros da Bíblia traduzidos para a língua que melhor compreendem. O Padre Feliciano disse que "esta versão da Bíblia em Umbundu é uma resposta ao desejo da Igreja de viver da Palavra", e sublinhou em seguida a sua dimensão pastoral. Para o padre, "quem nos forma é a palavra e esta palavra está na Bíblia".
Um dos coordenadores do projecto, Padre Bonifácio Tchimboto, explicou o processo da concretização do trabalho desde o início até ao fim. Disse que "o livro que temos em mãos é contribuição de todos e não só de técnicos", pelo agradeceu a muitos sacerdotes, religiosas e leigos comprometidos que deram o seu contributo para a obra.
Para encerrar o acto, Dom António Jaca agradeceu aos seus predecessores que "plantaram e nós estamos a colher", disse. O Prelado considerou o momento como "histórico que deve ser marcado como acção de graças a Deus por todos os que colaboraram" na obra. 
Esta é a primeira edição completa da Bíblia em Umbundu que foi composta pela Paulus Editora a partir de Lisboa.

Religiosos celebram mini-jornada de vida religiosa 

Domingo, 16 de Setembro de 2018: As congregações religiosas masculinas e femininas presentes na Diocese de Benguela celebram neste domingo uma mini-jornada de vida religiosa, uma iniciativa da CESMIRA que é presidida pela Irmã Maria da Conceição da Cruz e sua equipa.
Foto de arquivo

A jornada acontece no Cavaco, na comunidade das Irmãs do Santíssimo Salvador (casa da Santa Cruz) e reúne madres e padres de vários institutos religiosos em representação das suas comunidades. No encontro, os religiosos e religiosas têm uma agenda que preenche o dia com muitas actividades. O destaque vai para a reflexão sobre vários temas ligados à espiritualidade e dinâmica da vida religiosa. Os religiosos vão debater questões relacionadas com acção da pastoral juvenil, com o objectivo de melhorar e tornar mais eficaz o acompanhamento e o trabalho com a juventude, nas paróquias e comunidades onde se encontram.

A jornada termina à tarde do mesmo dia com uma celebração da eucaristia de encerramento. O Bispo da Diocese, Dom António Jaca, encerrará as actividades ao fim do dia.


Irmãs do Santíssimo Salvador celebraram beatificação da fundadora 

Segunda-feira, 10 de Setembro de 2018: As Irmãs do Santíssimo Salvador em Benguela celebraram ontem a festa da beatificação da Madre ELISABETH EPPINGER que foi proclamada beata, em França, na Catedral de Estrasburgo, numa celebração vivida em todo mundo onde se encontra a congregação. Trata-se da Madre fundadora deste Instituto religioso feminino que está em Angola desde 1936.
Em Benguela, as Irmãs do Santíssimo Salvador viveram o evento com uma novena de oração preparatória da cerimónia que acompanharam espiritualmente a partir das suas comunidades e das paróquias onde trabalham. De acordo com uma nota entregue pelas Irmãs aos nossos serviços informativos, as religiosas exprimiram "profunda gratidão às suas irmãs e padres que lançaram os alicerces na causa da beatificação da nossa Madre fundadora para ser elevada aos altares". 
Em Angola, as religiosas estão presentes nas dioceses de Luanda, Caxito, Menongue, Lubango, Ondjiva, Huambo, Bié, Cuanza Norte, Malanje, Benguela e Lwena. A congregação na Província Angolana conta actualmente com 162 membros.
Em Benguela, as irmãs do Santíssimo Salvador trabalham no Abrigo da Infância e nas paróquias do Divino Espírito Santo, São João Maria Vianney, Ganda e nas comunidades da Paz e do Cavaco.

Casais jovens na Baía-Farta
No mesmo domingo, 9 de Setembro, os casais jovens de toda a Diocese de Benguela encerraram o terceiro encontro diocesano que teve início na passada sexta-feira, dia 7. De acordo com o seu assistente diocesano, padre Hilário Tchikanalo, o objectivo do encontro foi repensar o reflexo do encontro nacional que se realizou em Outubro do ano passado, na Diocese de Viana, em Luanda.

Irmãs Catarinas em festa em Benguela 

Noviças que emitiram votos temporários
Sábado, 8 de Setembro de 2018: A congregação das Irmãs de Santa Catarina de Sena celebrou hoje oito profissões religiosas temporárias e perpétuas de novos membros, e outras oito irmãs que comemoraram o jubileu de 25 anos de vida religiosa, numa cerimónia presidida pelo Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Braga, no Santuário de Nossa Senhora da Graça, em Benguela.


Irmãs de votos perpétuos
Para os primeiros votos de ingresso na congregação, cinco irmãs deram o seu sim ao carisma catariniano: Ana Lumbo, Carolina Tchilumbo, Engrácia Conselho, Intermerata Ngandala e Venância Catengue. Outras três irmãs emitiram os votos perpétuos: Bernarda Katumbo, Domingas Bongue e Regina José.
As novas religiosas prometeram dianta da Madre Geral da congregação das Irmãs de Santa Catarina fidelidade ao carisma de servir os irmãos com prioridade para "as periferias" de acordo com os estatutos do Instituto, para que "Deus seja mais conhecido, amado e adorado", declararam.
O mesmo espírito de entrega e serviço foi recomendado pelo Vigário Geral da Diocese, padre Eduardo Alexandre, na sua homilia. O sacerdote disse exprimiu palavras de gratidão pela entrega das irmãs ao "serviço na Igreja e no mundo" e agradeceu o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido "pelas sucessivas direcções gerais das Irmãs de Santa Catarina" em prol do crescimento da congregação.
Na mesma cerimónia, testemunhou-se a renovação dos votos jubilares de 25 anos de oito religiosas. Trata-se das irmãs Augusta Ndjolela, Delfina Cassi, Imaculada Napoco, Maria Salomé, Madalena Ndongwa, Rita Natchamba, Joaquina Inês e Helena Inguisa. Com a celebração das bodas de prata, as religiosas reafirmaram a vontade de serem fiéis até ao fim por amor a Cristo que lhes "promete a vida eterna".
Diante do Bispo, as oito religiosas, que já serviram em várias comunidades, mostraram-se disponíveis para ir ao encontro dos irmãos levar a Boa Nova através do ensino da catequese segundo o espírito da congregação que escolheram e à qual se entregaram definitivamente como "esposas de Cristo".

Padres em Benguela recebem formação 

Segunda-feira, 27 de Agosto de 2018: O clero diocesano de Benguela reuniu-se nesta segunda-feira, 27 de Agosto, para uma sessão de formação permanente, no Seminário Maior de Filosofia. O encontro reuniu mais 120 sacerdotes e foi orientado pelo Bispo da Diocese, Dom António Jaca, contando com a presença de Dom Óscar Braga.
Vários temas foram abordados e debatidos pelos sacerdotes sobre a ética na gestão económica e financeira em instituições de serviço público e privado.
Os expositores foram o padre André Dias, recém chegado de Espanha onde concluiu os seus estudos superiores na Universidade São Dâmaso de Madrid, e o padre José Brinco.
Os debates estenderam-se à vida nas comunidades sacerdotais em busca de solução para problemas e necessidades que se vivem. Como pista reflexão, Dom António Jaca acolheu várias opiniões e apelou a uma visão de conjunto para todos e cada um dar o seu contributo na prestação de melhores serviços às comunidades e fiéis.
A eucaristia presidida por Dom António Jaca marcou o momento principal de encerramento dos trabalhos, seguida do almoço no restaurente Serra da Leba, em Benguela.

Morreu Padre Barnabé Ndala 

Quarta-feira, 22 de Agosto de 2018: O padre Barnabé Ndala faleceu na madrugada de hoje, às 2h:48, no hospital geral de Benguela, vítima de doença. A notícia foi confirmada pelo Vigário Geral de Benguela, padre Eduardo Alexandre. 
O padre Barnabé tinha 80 anos de idade, tendo nascido a 28 de Junho de 1938 na Província da Huila. Foi ordenado sacerdote em 1963 e exerceu o seu ministério na diocese de Benguela, onde chegou em 1977, e em 1978, Dom Óscar Braga confio-lhe o cuidado pastoral da comunidade do Divino Espírito Santo, cuja capela ajudou a erguer. O sacerdote pertencia à Diocese de Menogue (Kuando-Kubango) e desde que chegou a Benguela não mais regressou àquela província. Destacou-se no ensino como professor de português no Seminário do Bom Pastor e Instituto Normal de Educação (INE) de Benguela, tendo exercido uma intensa acção pastoral nas comunidades do Bairro da Massangalala, nas comunidades da Sé Catedral, Nossa Senhora dos Navegantes e Graça.
Nos últimos anos, depois da sua aposentação, em 2008, o sacerdote deixou a actividade docente e passou a viver na residência da comunidade sacerdotal da Missão de Nossa Senhora da Nazaré, onde conviveu com o também de feliz memória, padre Francisco Manuel.
Homem de grande espírito missionário e profundo humanismo e cultura, o padre Barnabé Ndalta foi sempre um sacerdote disponível a colaborar em todas as actividades pastorais que os Bispos lhe pediam, desde o governo da Diocese por Dom Óscar Braga.
As exéquias fúnebres do Reverendo padre Barnabé Ndala realizam-se na sexta-feira, dia 24 de Agosto, com a missa do corpo presente às 11h na Sé Catedral, seguindo-se o funeral no cemitério da Camunda, em Benguela. Que a sua alma descanse em paz.


Mais de 200 estudantes da Católica recebem diplomas 

Sábado, 18 de Agosto de 2018: O Instituto Superior Politécnico Católico de Benguela graduou 216 findalistas, nesta sexta-feira, 17 de Agosto, com a outorga de diplomas aos novos licenciados dos cursos de Ciências de Educação, Direito, Ciência Política e Relações Internacionais, Contabilidade e Gestão de Empresas, Arquitetura, Engenharia Civil e Ambiental.
A cerimónia aconteceu no cine Imperium, na cidade do Lobito, e foi presidida pelo Magno Chenceler da Católica e Bispo da Diocese de Benguela, Dom António Francisco Jaca, ladeado pelos membro da direcção da Instituição. O Governador provincial de Benguela, Dr. Rui Falcão, foi representado no acto pelo Director Provincial da Educação de Benguela, Dr. Calopa Mário. A cerimónia foi ainda testemunhada pelas autoridades da Administração Municipal do Lobito e vária entidades policiais e militares, bem como autoridades tradicionais.
Esta foi a segunda cerimónia de outorga de diplomas do Instituto Superior Politécnico Católico de Benguela, depois da primeira que aconteceu em 2016. No seu discurso, o Magno Chanceler Dom António Jaca apelou para o sentido de responsabilidade, profissionalismo e competência ao novos licenciados no mercado do trabalho. o Director Geral, padre José Adriano Ukwatchali, pediu aos novos graduados que demonstrem competência na actividade profissional para dignificar as licenciaturas e a Instituição que concedeu o título. A cerimónia terminou com uma passeata dos novos licenciados pelas ruas da cidade do Lobito e da Catumbela.

Dom Óscar, sacerdote de meio século 

Quinta-feira, 26 de Julho de 2018: O dia marca o aniversário sacerdotal do Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Lino Lopes Fernandes Braga, que aconteceu há 54 anos em Malanje, dos quais 43 de bispo. Dom Óscar Braga passou este dia em oração, na sua residência em Benguela, onde numerosos padres, religiosas e amigos que o estimam foram passando para cantar parabéns.
Como sempre, aberto a receber todos sem protocolos, a cada momento abria a porta que dá para a pequena sala da entrada. Ali, durante alguns minutos, ou mesmo meia hora, conversou com quem lhe foi dar um sorriso de alegria e de gratidão por mais de meio século de serviço sacerdotal à Igreja.
Com ele também um grupo de padres de que se destacam o grupo dos "Marianos" representados pelos padres Raimundo Quintas, José Mombo António e Agostinho André Filipe Epandi celebram com Dom Óscar a acção de graças pela ordenação sacerdotal. Estes últimos apenas celebram 20 anos de ordenação, cuja unção receberam das mãos do Bispo emérito.
Todos juntos celebram a missa de acção de graças na paróquia do Divino Espírito Santo, no Bairro da Massangarala, a ser presidida por Dom Óscar Braga ao fim do dia.
O Bispo de Benguela, Dom antónio Jaca não se fará presente por se encontrar na Diocese de Caxito, onde preside às celebrações diocesanas de Santa Ana. Dom António Jaca continua ainda com responsabilidade pastoral naquela Diocese, na qualidade de Administrador Apostólico até à nomeação do novo bispo de Caxito. PARABÉNS SR. DOM ÓSCAR E AOS SACERDOTES QUE CELEBRAM O ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO NO MESMO DIA.

Religiosa Saletina emite votos perpétuos 

Domingo, 22 de Julho de 2018: Aconteceu neste domingo, 22 de Julho, na paróquia do Sagrado Coração de Jesus da Catumbela. Uma religiosa da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora de Lassalete entregou-se definitivamente ao serviço da Igreja com a profissão perpétua e disse que quer servir para sempre Jesus Cristo seu esposo. Trata-se da Irmã Josefina Tchilombo de 43 anos, natural de Caluquembe, que aumentou no número de membros daquela congregação feminina que tem a sua sede em Angola na vila da Catumbela.
A cerimónia solene foi presidida pelo Bispo de benguela, Dom António Francisco Jaca, estando também presente o Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Braga, e o Vigário Geral da Diocese, padre Eduardo Alexandre, dentre outras presenças.
A celebração marcou ainda o 11º aniversário de ordenação episcopal de Dom António Jaca. O Bispo agradeceu a Deus pelo dom do episcopado e pediu orações aos seus fiéis diocesanos pelo seu ministério. Foi ainda homenageado na missa o padre Joaquim Hatewa que celebrou 47 anos de sacerdócio, que é também director espiritual das Irmãs Saletinas e seu fundador em Angola.


Dom Jaca Regressa à Diocese 

Quarta-feira, 18 de Julho de 2018: O Bispo de Benguela, Dom António Francisco Jaca, regressou ontem a Benguela depois de cerca de duas semanas em que esteve a cumprir uma agenda da CEAST. O Prelado, que é secretário executivo desta Instituição Episcopal, trabalhou em Luanda, na sede da Conferência, e na Diocese de São Tomé e Príncipe onde participou das actividades comemorativas das festas daquela Igreja das Ilhas.
No próximo domingo, 22 de Julho, preside à celebração dos votos perpétuos de membros da congregação das Irmãs Saletinas, na paróquia do Sagrado Coração de Jesus da Catumbela.

Diocese de Cabinda já tem bispo: D. Belmiro Tchisengeti 

Terça-feira, 3 de Julho de 2018: Foi a notícia que marcou o dia de hoje, logo pelas 11h da manhã em Angola, 12h em Roma. O Bispo de Benguela e secretário da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé, Dom António Jaca, convocou os agentes da pastoral diocesana, sacerdotes e religiosas, para Sé Catedral onde anunciou a feliz notícia à Igreja de Angola.
O novo Bispo Dom Belmiro Tchisengeti mostrou-se confiante e satisfeito com a sua nomeação, consciente dos desafios que vai encontrar, e disse que é uma responsabilidade que assume com fé e sentido de missão à Igreja, em particular àquela porção da Igreja universal que é a Diocese de Cabinda. Dom Belmiro agradeceu "ao Santo Padre Francisco pela confiança que depositou em mim com esta nomeação", "ao Núncio Apostólico em Angola, Dom Peter Radjic" por quem lhe chegou a notícia. Agradeceu de igual modo ao Arcebispo de Luanda e até agora Administrador Apostólico de Cabinda, Dom Filomeno Vieira Dias, pelo trabalho que realizou na Diocese de Cabinda. Agradeceu aos Bispos Dom Jaca e Dom Óscar Braga, presentes no acto e todos os padres e religiosas que ouviram o anúncio. A todos pediu orações para conduzir o povo que lhe foi confiado. 
Dom Belmiro dirigiu já uma saudação especial ao clero, religiosos e religiosas e fiéis de Cabinda, esperando trabalhar com todos para servir Cristo.
Com 49 anos de idade, Dom Belmiro nasceu no Chinguar, Província do Bié. De pais evangélicos, foi baptizado na igreja evangélica pentencostal e ali também foi crismado. A pedido do seu pai, foi estudar na missão dos padres espiritanos e ali entusiasmou-se pela vida que encontrou. Este entusiasmo levou-o a falar com o então superior da missão, que é hoje Dom Benedito Roberto, Arcebispo de Malanje. Belmiro fez naquela Missão a profissão de fé católica e em seguida a primeira comunhão. Depois da caminhada vocaional, Dom Bendito mandou-o para o seminário menor dos missionários espiritanos em Cabinda, em finais da década de 80. O seu percurso vocacional cresceu até à ordenação sacerdotal. Até a esta data da sua nomeação para bispo, Dom Belmiro era superior provincial dos Missionários do Espírito Santo e membro da comissão episcopal de Justiça e Paz da CEAST.
Dom Belmiro Tchisengeti já disse que vai receber a ordenação episcopal em Cabinda, mas ainda não avançou a data.





Segunda-feira, 2 de Julho de 2018: A Igreja Católica de Benguela viveu mais um momento de graça e de alegria neste domingo, 1 de Julho, com dez ordenações sacerdotais e sete diaconais, em missa solene presidida pelo Bispo Diocese, Dom António Francisco Jaca, realizada na Capelinha de Nossa Senhora dos Navegantes, na cidade Episcopal.
Cumpre-se assim, a tradição das ordenações sacerdotais na diocese de Benguela de ser no país o “celeiro das vacações”, cujo pilar assenta-se nas vocações religiosas lançadas a cerca de 50 anos pelos primeiros bispos da diocese de Benguela.
A celebração eucarística vivida com fé pela comunidade diocesana foi concelebrada pelos bispos das dioceses do Kuito, Dom José Nambi, do Dundo, Dom Estanislau Tchindekaese, e pelo Bispo emérito Dom Óscar Braga, além dos sacerdotes, religiosos e religiosos vindos das distintas localidades do País.
Na sua homilia, na qual apresentou aos novos presbíteros e diáconos o significado, importância e implicações do novo ministério ao qual foram chamados, Dom António Jaca exortou-os a terem consciência da responsabilidade de terem sido escolhidos a servir Deus e a sua Igreja.
“Uma vez que respondemos sim assumimos um compromisso sério com Deus e sua Igreja, e aí não podemos viver a nossa vida, viver a nossa maneira. Vós fostes escolhidos para dar frutos, mas frutos que permaneçam. Ora, para dar frutos de bondade, o escolhido e o consagrado deve permanecer unido ao seu Senhor”, sublinhou Dom Jaca que presidiu assim, as primeiras ordenações desde que assumiu o governo da diocese a 10 de Junho de 2018.
Se alguém quer seguir Jesus, na vida sacerdotal, na vida religiosa para engordar a sua conta bancária, para ter uma boa vida, para ter um estatuto social, uma promoção, seguramente está no cominho errado”, lembrou o Bispo de Benguela, tendo acrescentado que o ministério presbiteral exige fidelidade.    
Trata-se de um estado de vida que se consubstancia no serviço a Deus e a sua Igreja. Este serviço realiza-se precisamente na vida pastoral, um compromisso que exige do sacerdote fidelidade ao seu ministério. Portanto, o sacerdote deve consagrar toda a sua vida ao serviço dos irmãos sem olhar a meios”, vincou.  Entretanto, dos dez jovens ordenados padres, três são membros da Congregação do Espírito Santo, os demais diocesanos que vão reforçar as comunidades paróquias, principalmente as do interior da diocese.

Novos padres e diáconos recebem ordens sacras no 1º domingo de Julho 

Terça-feira, 26 de Junho de 2018: Benguela prepara as ordenações sacerdotais e diaconais que acontecem no próximo domingo, 1 de Julho, na capelinha de Nossa Senhora dos Navegantes. Oito diáconos, dos quais seis diocesanos de Benguela e dois espiritanos, serão elevados ao ministério presbiteral e sete jovens serão ordenados diáconos.
Estas ordenações serão as primeiras a serem presididas por Dom António Jaca como Bispo diocesano de Benguela, depois da sua tomada de posse no dia 9 de Junho.
Como é tradição em Benguela, as comunidades cristãs estão a preparar espiritualmente as celebrações com orações, de acordo com a dinâmica proposta pelo Secretariado Diocesano de Pastoral, coordenado pelo padre Manuel Abel dos Santos.
Os jovens que serão ordenados presbíteros e diáconos receberam a sua formação filosófica e teológica no Seminário Maior do Bom Pastor em Benguela. Terminado o curso de Teologia, os candidatos realizaram estágios pastorais em várias comunidades paroquiais, acompanhados pelos párocos que agora os irão apresentar ao Bispo como "sendo considerados dignos" para o ministério sacerdotal.


Dom António Jaca celebra 1ª missa na Sé de Benguela 


Segunda-feira, 18 de Junho de 2018: O Bispo da Diocese, Dom António Francisco Jaca, celebrou no domingo, dia 17 do corrente mês, a primeira eucaristia na Sé Catedral, ladeado pelo Vigário Geral, padre Eduardo Alexandre, pároco da mesma igreja.
O Prelado, à chegada, foi recebido pelo paroquianos com danças e cânticos, no átrio da igreja, e acompanhado pelo pároco, dirigiu-se à sacristia.
Depois da tomada de posse e apresentação à diocese, no dia 10, o Bispo apresentou-se aos seus paroquianos da igreja mãe q a quem falou pela primeira vez na qualidade de 1º pároco da catedral.
Foi isso que Dom Jaca realçou na sua homilia onde exprimiu agradecimento pelo acolhimento e pelo muito trabalho feito para preparar a sua tomada de posse. O Bispo apelou aos paroquianos "renovação" e pediu que todos se empenhassem para "tornar mais a nossa igreja mais bela de todas", referindo-se à beleza interior. Voltou a anunciou que vamos preparar o jubileu da nossa diocese (50 anos) apelando à unidade e colaboração de todos. Referindo-se à organização da igreja catedral, o novo Bispo disse aos seus paroquianos que "vamos ter muito trabalho", dizendo depois que "se preparem para algumas mudanças".
No fim da missa, dom Jaca reuniu-se com os membros do conselho paroquial e terminou com a visita às obras à volta da igreja da Sé.

Novo Bispo de Benguela já tomou posse 


Domingo, 10 de Junho de 2018: O novo Bispo da Diocese de Benguela, Dom António Francisco Jaca, já tomou posse durante uma cerimónia realizada na Sé Catedral de Benguela, às 17h do sábado, dia 9 de Junho. A data coincidiu com o 26º aniversário da visita do Papa João Paulo (9/6/1992), em que se encontrou com todos os catequistas de Angola na mesma Sé Catedral de Benguela.


Dom António Jaca entrou solenemente na Catedral recebido na porta principal pelo Bispo emérito (cessante) Dom Eugénio Dal Corso de quem recebeu a cruz a beijar e conduzido ao sacrário para um momento de oração em silêncio. O novo Bispo veio acompanhado pelo Núncio Apostólico em Angola, Dom Peter Radjic, pelos Arcebispos de Luanda, Dom Filomeno Vieira Dias; de Saurimo, DomJosé Mauel Imbamba; do Huambo, Dom José de Queirós Alves; do Lubango, Dom Gabriel Mbilingi; e pelos Bispos do Uíje, Dom Emílio Sumblelo; do Sumbe, Som Luzizila Kiala; do Kuito-Bié, Dom José Nambi; do Namibe, Dom Dionísio Hisiilenapo; de Ondjiva, Dom Pio Hipunyati; e ainda pelo Bispo auxiliar de Luanda, Dom Zeferino Zeca Martins.
A cerimónia testemunhada por mais de 100 sacerdotes de Benguela e outros vindos de várias dioceses, encheu a igreja catedral de Benguela de fiéis religiosas/os de vida consagrada e leigos. As autoridades civis do Governo Provincial de Benguela, Deputados à Assembleia Nacional, Generais do Exército e outras altas individualidades políticas, militares, policiais e civis se fizeram representar na cerimónia. 
De Malanje, terra natal de Dom António Jaca, chegou uma delegação que acompanhou o filho da terra na sua nova missão. De Caxito, Diocese anterior de Dom Jaca, também uma grande delegação que acompanhou o seu antigo Pastor.
O Bispo foi recebido num ambiente de muita alegria, palmas e discursos de boas vindas que caracterizam os fiéis de Benguela, como sublinhou o Vigário Geral da Diocese, padre Eduardo Alexandre, no sue discurso de saudação ao novo Bispo.

Missa de apresentação do novo Bispo
Dom António Francisco Jaca presidiu a sua primeira missa solene de apresentação à comunidade diocesana de Benguela no domingo, dia 10 de Junho, na capelinha de Nossa Senhora dos Navegantes. No início, o novo Bispo recebeu o báculo diocesano de Dom Eugénio Dal Corso, um gesto que marcou o fim da sua acção pastoral em Benguela, para dar lugar ao início da mesma acção de Dom António Jaca.
Na sua primeira homilia como Bispo de Benguela, Dom Jaca agradeceu ao Santo Padre, o Papa Francisco, pela nomeação e pediu oração ao fiéis de Benguela pelo seu novo ministério. O Prelado disse que conta com todos na realização da missão que lhe foi confiada. Anunciou a preparação do grande jubileu dos 50 anos da Diocese de Benguela (1970-2020) e, ao mesmo tempo agradeceu o trabalho pastoral dos seus predecessores Dom Óscar Braga e Dom Eugénio Dal Corso. Disse ainda que vem anunciar o evangelho de Cristo, o supremo Pastor, pelo que nesta tarefa todos são indispensáveis. Finalmente, Dom António Jaca confirmou todos os sacerdotes da Diocese nos seus respectivos cargos, até novas nomeações.

Novo Bispo de Benguela já está na Diocese 


Sexta-feira, 8 de Junho de 2018: O novo Bispo da Diocese de Benguela, Dom António Jaca, chegou na manhã de hoje à cidade episcopal. À chegada ao aeroporto internacional da Catumbela,  Dom Jaca foi recebido pelos Bispos eméritos de Benguela, Dom Óscar Braga e Dom Eugénio Dal Corso; e foi ainda recebido pelas autoridades do Governo Provincial representadas pela Vice-Governadora, Dra. Deolinda Valiangula e o Vice-Administrador Municipal da Catumbela, Dr. Gonzaga Lino.



Dom António Jaca veio acompanhado pelo Arcebispo de Saurimo e Vice-Presidente da CEAST, Dom José Manuel Imbamba. Centenas de fiéis diocesanos de Benguela, entre sacerdotes e religiosas de diversas congregações aguardavam no aeroporto pela chegada do novo Pastor que acolheram com muita alegria, cânticos e dança. 
No Bispado, Dom António Jaca foi recebido por um banho de gente. Centenas de mulheres da Promaica e seminaristas de Teologia do Bom Pastor acolheram o Bispo com cânticos e palmas, ao longo da grande Av. Governador Coutinho.
O novo Bispo disse, em declarações à imprensa, que vem com espírito de missão e "conta com todos" para e agradece o caloroso acolhimento dos cristãos de Benguela. À tarde, Dom Jaca foi recebido no palácio do Governo Provincial, onde apresentou cumprimentos ao Vice-Governador em representação do Governador Provincial.
À noite O Bispo rezou com os missionários da cidade episcopal, na Missão da Nazaré. Dom Jaca agradeceu a todos e pediu oração pela sua nova missão, sublinhando a unidade e o trabalho conjunto.


Nota biográfica



Nasceu no Quéssua, Província de Malanje, a 3 de Novembro de 1963.

Formação: fez os estudos primários no Quéssua e os secundários em Malanje; curso propedêutico (1979-1981) e filosófico (1981-1984), no Seminário Maior de Luanda); curso superior de teologia no Teologado Eugénio de Mazenod em, em Kinshasa onde obteve o grau de bacharel em Teologia (1987-1991).

Diplomas: D. António Jaca é diplomado em Ciências da Comunicação Social na Universidade de Saint Paul em Otawa; Mestrado em Comunicação Social na Universidade do Québec em Montreal, no Canada (1994-98).

Emitiu os primeiros votos na Congregação do Verbo Divino em 1987, seguindo-se a profissão Perpétua na mesma Congregação, a 8 de Setembro de 1990. Foi ordenado Sacerdote a 29 de Setembro 1991 em Malanje. Como padre exerceu o seu ministério desempenhando os seguintes cargos: na Missão do Nzeto, Diocese de Mbanza Congo (1991-1994); Director da Rádio Ecclesia e Vice-Superior Provincial da sua Congregação (1999-2002); Superior Provincial (2002–2007); Nomeado primeiro Bispo da Diocese de Caxito a 6 de Junho de 2007, tendo recebido a ordenação episcopal em Luanda, a 22 de Julho de 2007. Tomou posse como Bispo de Caxito a dia 14 de Outubro de 2007. Nesta Diocese, exerceu o seu múnus episcopal durante 11 anos.

Nomeado Bispo da Diocese de Benguela por sua Santidade o Papa Francisco a 26 de Março de 2018; com a tomada de posse como 4º Bispo de Benguela a 9 de Junho de 2018.
 

Benguela prepara recepção de Dom António Jaca 


Segunda-feira, 4 de Junho de 2018: Os cristãos da Diocese de Benguela preparam-se para receber o seu novo bispo, Dom António Francisco Jaca, nomeado Bispo de Benguela, pelo Papa Francisco, a 26 de Março deste ano.
O clero, os religiosos/religiosas e fiéis em geral aguardam com muita espectativa e alegria a chegado de Dom António Jaca, prevista para o dia 8 deste mês. A nível da diocese, todas as comunidades paroquiais foram convidadas a unirem-se em oração como acção de graças pelo envio do novo bispo e pelos 10 anos de serviço pastoral de Dom Eugénio Dal Corso que a partir do dia 9 do corrente passa a Bispo emérito.
A cerimónia da tomada de Dom António Jaca aconte nos dias 9 e 10 de Junho deste ano, respectivamente, na Sé Catedral e na Capelinha de Nossa Senhora dos Navegantes em Benguela. As cerimónias serãos testemunhadas pelos Bispos da Conferência Episcopal de Angola (CEAST) que durante os próximos dias vão escalar a cidade das acácias rubras, com particular destaque para o Núncio Apostólico em Angola.
O programa das actividades da tomada de posse contempla:
Quinta-feira, 7 de Junh
o: exposição do Santíssimo durante todo o dia, em todas as paróquias da Diocese;
Sexta-feira, 8 de Junho - 10.30m: chegada e acolhimento de Dom António Jaca, no Aeroporto Internacional da Catumbela;
Sábado, 9 de Junho - Visita ao Cristo Rei, na Baía Azul;
Domingo, 10 de Junho - 9 h: Eucaristia de apresentação do novo Bispo à comunidade diocesana, na Capelinha de Nossa Senhora dos Navegantes, seguida de almoço de confraternização no Calmito Aparthotel.

Corpo de Deus em Benguela 


Domingo, 3 de Junho de 2018: Centenas de fiéis católicos saíram às ruas da cidade de Benguela neste domingo para celebrar a festa pública da procissão do Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus, presidida pelo Bispo Dom Eugénio Dal Corso com a organização do Vigário Geral da Diocese, padre Eduardo Alexandre.
A procissão partiu da igreja paroquial de Nossa Senhora do Pópulo, na cidade das acácias rubras, em direcção à Sé Catedral, onde os fiéis receberam a bênção final e ouviram a explicação de Dom Eugénio sobre a origem das procissões do Corpo de Deus no mundo.
Muitos fiéis caminharam e animaram em várias estações a adoração ao Santíssimo Sacramento que vinha transportado numa carrinha ornamentada e organizada pelo padre Abel dos Santos, rodeada aos lados pelo Movimento Eucarístico Juvenil (MEJ). Muitos outros fiéis com dificuldade de caminhar esperaram a chegada da procissão à Sé, onde também o Bispo emérito de Benguela, Dom Óscar Braga, aguardou e adorou o Santíssimo Sacramento à chegada.
No momento da bênção, Dom Eugénio Dal Corso pediu maior devoção dos cristãos ao Corpo e Sangue de Jesus, apelando para a reparação dos muitos pecados e sacrilégios cometidos pelas pessoas de má fé.
Esta foi a última procissão presidida por Dom Eugénio em Benguela antes da tomada de posse do novo Bispo da Diocese que será no próximo sábado, dia 9 de Junho de 2018 na Sé Catedral, cuja apresentação aos cristãos diocesanos será no domingo dia 10, durante a celebração solene da eucaristia na Capelinha de Nossa Senhora dos Navegantes.

Igreja da Massangarala foi assaltada 


Sábado, 2 de Junho de 2018: Um grupo de homens não identificados desencadeou um assalto à Igreja paroquial do Divino Espírito Santo, no Bairro da Massangarala, na noite desta sexta-feira para sábado (1-2/junho). Do assalto resultou o roubo do sacrário e mais de 200 cadeiras de cor azul que têm sido usadas para as celebrações e outras actividades de formação. 
De acordo com o pároco do Divino Espírito Santo, padre Raimundo Quintas Alberto, o triste vandalismo aconteceu na noite em que um grupo de paroquianos estava a ensaiar cânticos para a celebração e depois de sair da igreja, provavelmente na madrugada os marginais conseguiram entrar e carregar as cadeiras. O sacerdote disse que não está clara forma como os ladrões conseguiram entrar na igreja, porque não ficou arrombada nenhuma porta e não partiram nenhuma janela. O caso foi já encaminhado às autoridades policiais que estarão a investigar o crime.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

DIOCESE DE BENGUELA