<$BlogRSDUrl$>

Santa Sé agradece ao Bispo de Benguela 

Segundo uma carta enviada a Dom Eugénio Dal Corso, pela Secretaria de Estado do Vaticano, o Santo Padre expressou agradecimento à Diocese de Benguela, na pessoa do seu Bispo diocesano. A carta pode ler-se na íntegra abaixo.
Clique sobre a carta para aumentar tamanho


Bispo de Benguela é expositor no I Congresso Eucarístico Nacional 



Dom Eugénio Dal Corso falou neste 2º dia do Congresso Eucarístico Nacional que decorre no Huambo até ao dia 18 de Junho de 2017.

Segundo os participantes, delegados ao Congresso, Dom Eugénio Dal Corso, Bispo de Benguela apontou alguns pontos sobre a evangelização.: 1.Que significa evangelização? 2. Porquê evangelizar? 3. Quem deve evangelizar? 4. Como evangelizar? 5. Porquê nova evangelização, no tema do dia sobre a Nova Evangelização. O ato de abertura contou com a presença na mesa de Dom Clemente, representante do Papa Francisco ao evento. Em declarações à imprensa, o enviado especial do Papa disse ter-se deslocado à República de Angola, sobretudo, à província do Huambo, com um sentimento de grande alegria, pelo facto de a região merecer atenção especial do Santo Padre.

“É alegria redobrada vir ao Huambo pela primeira vez, embora já me terão convidado várias vezes pelo Dom José de Queirós Alves, mas agora foi possível. Por isso, esta minha visita representa também atenção especial do Santo Padre em relação a minha pessoa, por ter nos enviado em seu nome para presenciar o I Congresso Nacional Eucarístico”, enfatizou. Encorajou os fiéis angolanos a prosseguir no caminho da evangelização, referindo e que o Papa Francisco olha para o crescimento da igreja no seu todo e, de forma especial para a Igreja em Angola.
A primeira parte do I Congresso Eucarístico é preenchida por um Simpósio Nacional da Igreja Católica, que decorre a partir de hoje até quarta-feira, com análise de temas como “A evangelização em Angola”, “A nova evangelização”, “O evangelizado evangeliza, Perspectiva para Angola” e “Evangelização eucaristia e reconciliação”.

Missões populares chegam a Lobito 



A comunidade da paróquia da Santíssima Trindade, no Lobito, animadas pelo padre Albino Segunda (foto) está em Missões Populares. Os trabalhos tem o ponto mais alto com a presença do bispo, Dom Eugenio Dal Corso, naquela comunidade agendada para o dia padroeiro.

A experiência das missões conhecida como dinâmica dos padres redentoristas, no âmbito da nova evangelização iniciou, segundo informações a que tivemos acesso, o ano passado, com presença dos padres redentoristas na comunidade.

A partir de Abril deste ano 2017 foi lançado uma linha de execução concreta com a frente que estes dias estão a mexer com toda a comunidade lobitanga naquela zona, sobretudo entre os católicos não praticantes.

Os trabalhos estão, segundo a comunidade estão a trazer um novo ar pastoral e serão concluídos com a prestação pastoral do bispo diocesano em visita pastoral agendada para o próximo domingo, dia que a comunidade celebra o padroeiro.

A comunidade pastoral da paróquia da Santíssima Trindade  tem a presença de três comunidades religiosas como sendo as Reparadoras, as Oblatas e as Vicentinas. Padre Albino Segunda (foto) é o atual pároco da comunidade. A paróquia foi fundada pelo padre Jacinto Martinez de nacionalidade espanhola que foi durante muito tempo o pároco de Nossa Senhora de Arrábida, no Lobito que assistia por muito tempo as comunidades da Cabaia, Cabaia e o Compão, bairro académico.


Doroteias assinalam 40 anos de noviciado em Angola 




 As Irmãs fundadas por Paulo Frassinetti, a Congregação das Irmãs de Santa Doroteias celebram no próximo dia 10 de Junho no Lubango as festas dos 40 anos do noviciado em Angola.


O evento é marcado pelas bodas de ouro da Irmã Maria Alice Gomes Monteiro de nacionalidade portuguesa (foto) cuja trajetória é marcada pela presença em Angola, tendo trabalhado no Lobito, Alto-Liro, em anos difíceis de Angola, respondendo ao carisma de se inserir no meio do povo. A Irmã Maria Alice que já foi considerada a “pároca” do Alto Liro, antes de ser paróquia, tem no seu coração e na sua veia criativa a satisfação de ver muitas das novas gerações desafiadas pela vida religiosas, dando a Igreja de Benguela uma aura pastoral invejável.

Quanto ao noviciado dizer que a instituição nasce inicialmente em Benguela onde também residia a provincial foi a primeira casa de formação de uma congregação de direito pontifício. Inicialmente na cidade episcopal de Benguela depois no Lobito e atcualmente no Lubango.

A caminhada institucional do noviciado sempre este marcado com o entusiamo pastoral nos desafios das comunidades onde as madres estão inseridas. Por isso, os 40 anos de vida são também um retomar a história da congregação nos desafios do país, contribuindo assim para o seu desenvolvimento moral e espiritual.



This page is powered by Blogger. Isn't yours?

DIOCESE DE BENGUELA